Mário Quintana

Mário de Miranda Quintana nasceu no dia 3 de julho de 1906, em Alegrete, Rio Grande do Sul. Foi poeta, tradutor e jornalista brasileiro e é considerado “o poeta das coisas simples” com um estilo marcado pela perfeição técnica, profundidade e ironia. Traduziu mais de cento e trinta obras da literatura universal, além de ter trabalhado para a “Editora Globo” e na farmácia de seu pai. Também foi colunista da página de cultura do jornal “Correio do Povo” e em 1940 lançou seu primeiro livro de poesias intitulado “Rua dos Cataventos”. 

Quintana não se casou e viveu grande parte da vida em hotéis. Dentre suas obras estão publicações infantis, como “Nariz de Vidro” e “Sapato Furado” e em 1980 recebeu o prêmio “Machado de Assis”, da Academia Brasileira de Letras. Faleceu em 5 de maio de 1994 no hospital “Moinhos de Vento”, em Porto Alegre, aos 87 anos.

“Tão bom morrer de amor! e continuar vivendo…”

Mário Quintana

Baú de Espantos, p 53

“Eu moro dentro de mim mesmo.”

Mário Quintana

Quando nem Freud explica, tente a poesia - por Ulisses Tavares, p 13

Usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação em nossa página, a partir de sua interação com a gente. Ao utilizar nosso site, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Queremos que você se sinta confortável, então, se quiser ter mais informações sobre como isso é feito, acesse nossa Política de Privacidade e Cookies. Você também pode definir suas preferências clicando em Configurar ou Rejeitar. Política de Privacidade e Cookies

Configurar ou Rejeitar Aceitar todos